Pelo fim da violência contra o jovem

Prezada amiga,

Prezado amigo,

Temos de pensar em 2010 como o ano em que vamos resgatar o país para realizar políticas públicas realmente eficientes em benefício da maioria. Hoje, o descaso oficial é intolerável. Basta lembrar, a este respeito, que o presidente Lula da Silva caminha para o final do seu mandato sem abrir os olhos para um fato gravíssimo: o copo da paciência dos brasileiros com o aumento da violência e da criminalidade transbordou.

Todos nós somos vítimas deste flagelo, mas os jovens dos 12 aos 18 anos formam um dos grupos mais vulneráveis. Hoje, em cada grupo de mil jovens brasileiros nesta faixa etária, dois são vítimas de homicídios. Em média, são 13 mortes de adolescentes por dia. Não há, no resto do mundo, nenhum país que tenha números tão elevados como estes.

O governo do presidente Lula não faz rigorosamente nada contra este recorde macabro e vergonhoso. O resultado deste descaso: a morte de jovens por causas violentas que em qualquer sociedade deveria se constituir num caso atípico, no Brasil, infelizmente, parece estar se incorporando à rotina. 

É lamentável constatar que o presidente Lula da Silva não se lembrou, até hoje, de comprometer o governo dele com a busca de alternativas eficientes para preservar a integridade física da juventude. A despeito do aumento absurdo do número de mortes de jovens, não há uma intervenção pública sendo preparada para estancar os assassinatos. Aliás, não há, sequer, medidas sendo estudadas.

Ainda assim, nem tudo está perdido. Vamos agir e iniciar, de imediato, o estudo de medidas em defesa da redução dos índices de mortalidade juvenil. Vamos propor o reforço das redes de proteção social às crianças e aos adolescentes. Algo tem de ser feito e tem de ser feito logo. Vamos usar o poder de coordenação nacional do Democratas para discutir  e apresentar propostas eficazes com o objetivo de conter a epidemia de crimes.  Claramente, a sociedade brasileira espera mais energia e empenho da Oposição nesta luta que é de todos.  Conto com vocês.

Um forte abraço,

 

Acordo com Paraguai é lesa-pátria, diz DEM

O Democratas protocolou na última terça-feira (28) representação no Tribunal de Contas da União questionando os termos do acordo que o governo Lula fez com o governo paraguaio. O partido quer que o TCU analise os termos do acordo em relação à sua eficiência administrativa, legalidade e, especialmente, economicidade. Os deputados já deixaram claro que não vão aceitar que o acordo seja referendado sem passar pelo Congresso Nacional. Segundo o vice-presidente democrata, deputado Paulo Bornhausen (SC), "todo o acordo tem que passar pela avaliação e voto do Congresso nacional". "O partido vai até ao STF, se for preciso, para garantir que a prerrogativa do Congresso não seja subtraída", diz Paulo Bornhausen

Saiba mais

 

Aleluia quer sessão conjunta para ouvir governo sobre Itaipu

A oposição tenta promover uma sessão conjunta da Câmara e Senado logo na reabertura dos trabalhos legislativos para ouvir os ministros de Minas e Energia, Edson Lobão, e das Relações Exteriores, Celso Amorim, sobre a intenção dos governos do Brasil e do Paraguai em alterar o contrato da Hidrelétrica de Itaipu. A iniciativa é do vice-presidente nacional do Democratas, deputado José Carlos Aleluia (BA), que procurou o líder do DEM no Senado, José Agripino (RN), para tratar do convite aos ministros pelas comissões de Minas e Energia, de Relações Exteriores e de Infraestrutura.  “Precisamos ouvir o governo sobre os reflexos dessa decisão no bolso dos brasileiros. Não há dúvida de que a mudança no contrato é nociva aos interesses do país e representa mais um desastre da gestão Luiz Inácio Lula da Silva. O presidente da República não tem procuração da Sociedade, muito menos do Congresso Nacional para sair por aí financiando republiquetas populistas”, declarou Aleluia.

 

Não podemos ser definidos pela cor da pele, afirma Demóstenes

No último dia 20 de julho, o DEM protocolou no STF ação com a finalidade de garantir a declaração de inconstitucionalidade de todas as leis sobre sistemas de cotas raciais aplicadas no país. A informação de que o partido entraria com uma ação no Supremo foi dada pelo senador Demosténes Torres (DEM-GO), em junho, depois que a Comissão de CCJ decidiu mais uma vez adiar a votação do projeto - PLC 180/08 que se destina a institucionalizar sistema de cotas, inclusive por critério étnico, em todas as universidades públicas do país e, ainda, na rede federal de escolas técnicas de ensino médio. "É uma proposta discriminatória. Não podemos ser definidos pela cor da nossa pele", disse ele, assinalando que as cotas raciais podem dividir a sociedade brasileira.

 

 

Saiba mais

 

Nilmar mobiliza bancada para debater futuro da Unitins

A deputada Nilmar Ruiz (TO) está entrando em contato com todos os parlamentares federais do Tocantins para marcar uma reunião para debater o futuro da Fundação Universidade do Tocantins (Unitins). A instituição teve seus cursos de ensino a distância descredenciados pelo Ministério da Educação (MEC) após ter se recusado a assinar o Termo de Ajuste de Conduta (TAC) proposto pelo ministério. “O TAC, da forma como está, é uma sentença de morte para os cursos de Educação a Distância da Unitins/Eadcon, assim como deixa os quase 100 mil alunos espalhados em todo o Brasil a mercê de transferências para outras instituições”, afirmou. Nilmar acredita que a reunião deva acontecer já no início de agosto, assim que voltarem os trabalhos no Congresso.

 

Leitura Dinâmica

Moralidade, ética, transparência - Gilberto Kassab, JB

Choque e eufemismo - Cesar Maia, Folha de S. Paulo

Política bem além da intriga - Rodrigo Maia, Diário de Petrópolis

« Voltar para o índice

Para retirar seu e-mail da lista clique aqui.

Você recebeu este e-mail porque foi registrado em http://www.democratasinforma.org.br para receber o boletim informativo do DEMOCRATAS.
Se esta newsletter for bloqueada, adicione contato@democratasinforma.org.br aos seus contatos. Vejas as edições anteriores.
Envie este boletim para um amigo. Filie-se ao partido.

© 2008-2017, DEMOCRATAS. Todos os direitos reservados.
#